quinta-feira, 20 de agosto de 2015

O som da bola

Durante toda a época do futebol nacional, no final de cada jornada, o Webesferico vai escolher uma música que caracteriza pelo título ou letra, o que se passou nos relvados nacionais na jornada do fim-de-semana. Aqui vai a primeira escolha, com a jornada 1 em pano de fundo.



sexta-feira, 17 de julho de 2015

Alcides Ghiggia (1926-2015)

"Sólo tres personas han silenciado Maracaná: El Papa, Frank Sinatra y yo"

Alcides Ghiggia, marcador do golo que derrotou o Brasil em 1950, numa final da Copa do Mundo que ficou conhecida como Maracanazo.



quarta-feira, 24 de junho de 2015

terça-feira, 16 de junho de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #16

Esta semana faço minhas as palavras do Mestre de Cerimónias, do blogue O Artista do Dia, num texto de opinião sobre o jornalismo desportivo português. Para além deste texto vale a pena acompanhar todo o blogue.

A suprema hipocrisia do jornalismo desportivo português

Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #especialJJ

Num fórum leonino, um dos utilizadores colocou a seguinte frase: “É tão provável a vinda do Jorge Jesus para o Sporting como estarmos a perder 2-0 com o Braga na final da Taça de Portugal, a dez minutos do fim, e ainda irmos ganhar nos penalties”. A frase não podia ter sido melhor.

Há alguns dias que se falava na possibilidade de JJ rumar a Alvalade. Na altura pensei que fosse delírio dos jornais porque, convenhamos, o treinador acabou de ser bicampeão pelo Benfica, ganhava bem, tinha a certeza de jogar a fase de grupos da Champions. Mesmo com uma redução de ordenado no clube da Luz, dificilmente JJ sairia para o Sporting.
Em Alvalade, apesar da instabilidade com Marco Silva, a ordem era controlar custos, não entrar em despesismos loucos, continuar a apostar na formação, etc. Ou seja, o contrário do que Jesus fez no Benfica.

Ontem fomos (todos?) surpreendidos não só com a saída de JJ como pela eminente assinatura pelo Sporting. À hora a que escrevo não existe nada oficial mas vamos dar como certa a chegada do treinador a Alvalade. Por partes:

1. A situação de Marco Silva – Era a favor da continuidade do técnico. Apesar de não concordar com algumas decisões a nível táctico, estava disposto a dar-lhe o benefício da dúvida numa nova época. Mais experiência, conhecimento dos jogadores e, quer queiramos quer não, vencedor de uma Taça de Portugal.Mas sei também que para haver sucesso é preciso haver uma ligação forte entre estrutura diretiva e equipa técnica, coisa que, obviamente, já não existia. Não sei quem teve razão, quem fez mal ou bem, quem tem mais culpas no cartório. A verdade é que o divórcio existe.
2. O novo treinador – Mesmo sem a possibilidade JJ, BdC dificilmente manteria MS, o que obrigava a ir buscar um treinador ao mercado. Mas quem? Com Jesus de saída da Luz, só posso considerar uma grande contratação para o clube. Treinador campeão, capaz de potenciar jogadores e com ideias de jogo mais condizentes com o estatuto de ‘grande’. Para além disso, é uma alfinetada muito grande no rival. Mas atenção, não me faz esquecer episódios menos dignos, como o célebre "limpinho, limpinho".
3. A questão financeira – JJ não é um treinador barato, ainda mais tendo vários títulos no currículo. Tal como disse, era este ponto que afastava o técnico de Alvalade. Fala-se em investidores de Angola e Guiné Equatorial. Há muito fumo ainda mas não me admirava nada, tendo a Holdimo presença na SAD do clube. Fala-se em 6 milhões/ano. Atenção que os 6 milhões são pagos apenas no caso de ganhar tudo. De qualquer das maneiras, investidores não são fundos…
4. Gestão do plantel – JJ vem habituado a grandes jogadores, sem apostar devidamente na formação. A antítese do Sporting, portanto. Gosto de ver a equipa leonina com vários portugueses oriundos da ‘cantera’. Deixarmos de seguir esse caminho irá custar-me bastante.

Existem ainda muitas questões por responder. Qual o papel de Inácio no meio disto tudo? Já ouvi de tudo, desde o JJ ter exigido a sua saída até Inácio ter apresentado demissão há umas semanas porque quer voltar a treinar. Aguardemos pelos próximos capítulos.


P.S. – Era tão mas tão evidente o azedume na comunicação social ontem à noite. Ao invés de elogiarem BdC ao ir buscar JJ ao rival – coisa que Pinto da Costa nunca conseguiu fazer, por exemplo – o foco vai passar a ser o ordenado e de onde vem o dinheiro, coisas que até agora nunca foram questionadas do outro lado da 2.ª Circular.


domingo, 24 de maio de 2015

terça-feira, 5 de maio de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #15

Já não sei o que te dizer, Paim...


Lembro-me da altura em que Fábio Paim começou a surgir no mundo do futebol, mais uma promessa saída da formação do Sporting. Quando já ganhava bem, passou por mim num jipe de alta cilindrada e o meu pensamento foi logo "este ainda agora começou e já anda a estoirar dinheiro".
O que se seguiu é do conhecimento público com a mais recente história a ser esta.
Podes ter o maior talento do mundo mas se a cabeça não o acompanha nada consegues fazer. Para o futebol já será tarde demais para Paim, espero sinceramente que não o seja para o resto.

Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

terça-feira, 21 de abril de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #14

Coragem, Jardel!

Serão poucos os que gostam de futebol e não sentem prazer em jogar uma peladinha com os amigos. Independentemente da habilidade de cada um, às tantas é muito mais do que dar uns pontapés na bola. É um escape para os problemas da vida, uma maneira de libertar o stress acumulado, é simplesmente estar com os nossos amigos.
É isso que move também a maior parte dos jogadores amadores, que acumulam o emprego diário com os treinos e jogos.
Acredito que esse seja o caso de "Jardel", ou melhor, Emanuel Soares.

"Jardel" foi notícia pela piores razões e num filme visto demasiadas vezes, ao cair inanimado durante uma partida de futebol, estando agora entre a vida e a morte.
A notícia do JN diz que "Jardel" esteve sem jogar durante dois anos, devido a problemas de saúde. "Recuperou e, há meio ano, realizou uma extensa bateria de exames médicos sob observação de um cardiologista. Conseguido o aval clínico, o avançado aceitou o convite do Águias de Eiriz para regressar ao futebol, cotando-se como um jogador de grande importância na formação orientada por José Manuel."
"Jardel" é pai de uma menina de sete anos e de dois gémeos de três meses. A maior parte das pessoas questionará porque voltou ele a jogar depois de tantos problemas de saúde. Eu volto a dizer que o futebol é muito mais do que mandar uns pontapés na bola. Acredito que ele partilha da minha opinião. E quando elas têm de acontecer, acontecem seja a jogar futebol ou a dormir.
Coragem, Emanuel! Estamos todos a torcer por ti.


Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #13


Eduardo Galeano (1940-2015)

“Todos los uruguayos nacemos gritando gol y por eso hay tanto ruido en las maternidades”.

“Yo quise ser jugador de fútbol como todos los niños uruguayos. Jugaba de ocho y me fue muy mal porque siempre fui un pata dura, terrible”

“La pelota y yo nunca pudimos entendernos, fue un caso de amor no correspondido”

“También era un desastre en otro sentido: cuando los rivales hacían una linda jugada yo iba y los felicitaba, lo cual es un pecado imperdonable para las reglas del fútbol moderno”

“Una vez por semana, el hincha huye de su casa y asiste al estadio”

“Flamean las banderas, suenan las matracas, los cohetes, los tambores, llueven las serpientes y el papel picado; la ciudad desaparece, la rutina se olvida, sólo existe el templo. En este espacio sagrado, la única religión que no tiene ateos exhibe a sus divinidades”

“Corre, jadeando, por la orilla. A un lado lo esperan los cielos de la gloria; al otro, los abismos de la ruina” (sobre el jugador).

“En su vida, un hombre puede cambiar de mujer, de partido político o de religión, pero no puede cambiar de club de fútbol”

“El gol es el orgasmo del fútbol. Como el orgasmo, el gol es cada vez menos frecuente en la vida moderna”

“La red era el encaje de novia para una niña perfecta”

“Creo que Messi es como un caso único en la historia de la humanidad, porque es alguien capaz de tener una pelota adentro del pie. Siempre se dice que Maradona la llevaba atada, pero Messi la tiene adentro del pie, y eso científicamente es inexplicable, pero vos ves que lo persiguen 7, 11, 22 rivales para sacarle la pelota y no hay manera de sacársela. ¿Porqué? Porque la buscan afuera del pie, y está adentro”.

Via conmebol.com


Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #12


Marco Silva no purgatório

O que aconteceu em Paços de Ferreira não foi propriamente uma novidade. Começar a ganhar, ter oportunidade para matar o jogo mas consentir o empate. Com este, foi o nono.
Se por um lado temos uma equipa que consegue praticar bom futebol, com identidade e que entusiasma a bancada, não é menos verdade que falta, demasiadas vezes, “matar o jogo”.
Marco Silva chegou ao Sporting proveniente do Estoril, naquela que foi a sua primeira experiência como treinador. Naturalmente, é uma realidade diferente, quer em termos de pressão, de objectivos, etc. A própria abordagem aos diferentes momentos do jogo tem de ser diferente. Aqui começa o primeiro pecado de Marco Silva: a mentalidade. Se o 1-0 do Estoril em Paços de Ferreira poderá fazer com que a equipa recue e dê a iniciativa de jogo ao adversário, o que até faz sentido, no caso do Sporting isso nunca pode acontecer. É preciso marcar, pelo menos, o golo da tranquilidade. No último jogo, a equipa teve muitas oportunidades para o fazer. Mas não é aqui que atribuo a culpa a Marco Silva.
Depois dos inúmeros falhanços, a equipa recuou em demasia, perdendo o controlo do meio-campo e deixando de ter bola, dando ao Paços de Ferreira a oportunidade de fazer o jogo que mais gosta, o que é raro naquele tipo de equipas.
Aos 74’, por alturas do golo do empate, Marco Silva ainda não tinha mexido na equipa, quando havia jogadores em claro défice físico (Carrillo, João Mário) e de rendimento (André Martins).
Lembro-me de ter comentado com o meu pai, dez minutos antes, que aquilo viria a acontecer se não houvesse mudanças no meio-campo, p.e., Rosell por A. Martins/João Mário.
Sofrido o golo do empate, começa o segundo pecado de Marco Silva: a troca de Slimani por Montero. Numa altura em que seria previsível o típico “chuveirinho”, era importante ter jogo aéreo forte, que deixou de existir com a saída do argelino. Slimani mais fixo na área e Montero mais móvel.
Na segunda substituição, Marco Silva lá arriscou tirando João Mário e colocando Mané, só que o mal já estava feito. Já nem comento a entrada do Capel…
Porquê então o título desta crónica? Sou defensor da continuidade de Marco Silva. O Sporting já foi um cemitério de treinadores, com os resultados que se conhecem. Queremos construir uma equipa cada vez melhor, com processos assimilados. Marco Silva consegue colocar as equipas a praticar bom futebol. Mas terá, também, de aprender com esta primeira época. Tem de perceber que o 1-0 durante o jogo não é suficiente porque basta um remate à outra equipa (como o Paços fez) para deitar fora dois pontos. Porque se queremos ser campeões, não podemos desperdiçar pontos desta maneira.
Caso a Taça de Portugal venha parar a Alvalade, penso que podemos dar esta época como positiva e onde todos, desde presidente a adeptos, tiveram de aprender. Marco Silva está entre o céu e o inferno e terá de ver se quer ficar na história do Sporting ou se pretende ser apenas mais um Paulo Sérgio desta vida…

Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

terça-feira, 31 de março de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #11: Sim, um post sobre Laurent Robert

A página The Sport Bible trouxe à memória um jogador mítico do Newcastle e que também passou, sem sucesso, pelo Benfica. Laurent Robert surge nas bocas dos portugueses como motivo de chacota, ora porque não deu nada de águia ao peito ora porque ainda marcou um golo a Vítor Baía.
Mas em Inglaterra, o homem fartava-se de marcar e alguns deles não eram propriamente só encostar...

Os 32 golos de Laurent Robert pelo Newcastle:


E o golo a Baía, que não ficou isento de culpas (0:35):

Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

terça-feira, 24 de março de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #10: Oportunidade perdida

Créditos: JN
Fernando Santos é daqueles treinadores que "não me aquece nem arrefece". Como pessoa parece-me ser impecável, como treinador tem as suas falhas como qualquer outro. De qualquer das maneiras, pareceu-me uma boa escolha para o cargo de seleccionador nacional.
Na quinta-feira, foram anunciados os convocados para o jogo com a Sérvia, do próximo domingo.
Analisemos a convocatória por sector:

Guarda-redes - Rui Patrício, Anthony Lopes, Ventura

Nada a apontar. Os dois primeiros nomes não surpreendem e Ventura foi convocado porque Beto não se encontra disponível. Será o terceiro guarda-redes portanto só por uma conjugação de factores conseguirá ser titular. Talvez no jogo diante de Cabo Verde...

Defesas - Bruno Alves, Cédric, Eliseu, Fábio Coentrão, Bosingwa, José Fonte, Pepe, Ricardo Carvalho e Antunes

Aqui começam as minhas críticas. Após o desastre do Mundial e a saída de Paulo Bento, a oportunidade era de ouro para começar a fazer a chamada renovação. Fernando Santos apostou na experiência. Tem as suas vantagens mas sou da opinião que as convocatórias actuais devem já ter em conta quem poderá ser chamado para a fase final, ou seja, olear a máquina o mais cedo possível.
Porquê convocar três laterais esquerdos? Porquê a chamada (ainda) de Ricardo Carvalho? Não seria melhor apostar já em Paulo Oliveira, por exemplo, que tem dado boa conta de si no Sporting? Ainda que me faça alguma confusão a chamada de Bosingwa, não estou a par da sua forma actual pelo que aceito a escolha do seleccionador. E, pelo menos, já não há Ricardo Costa...

Médios - André Gomes, Moutinho, João Mário, Tiago, William Carvalho

Os problemas aqui continuam mas, neste caso, são daquelas boas dores de cabeça para um treinador. Nomes como William, Moutinho ou Tiago são indispensáveis na convocatória. João Mário tem vindo a subir de forma e André Gomes também está a jogar bem no Valência. Mas há outros nomes a ter conta e que podem vir a merecer confiança para o jogo com Cabo Verde. Assim de repente, Adrien, Bernardo Silva, Pedro Tiba ou André André seriam boas escolhas para observar.

Atacantes: Vieirinha, Ronaldo, Éder, Hugo Almeida, Danny, Nani, Quaresma

O eterno problema dos pontas de lança. Já nem comento Éder e Hugo Almeida. Não esquecer que ainda ficaram alguns nomes de fora,  como Carlos Mané, mas aceita-se a chamada destes jogadores.

Enquanto escrevia este texto foi divulgada a convocatória adicional para o jogo com Cabo Verde. Percebo a intenção de avaliar jogadores mas não nos podemos enganar, há nomes aqui que não têm qualidade para jogar pela selecção.

- Guarda-redes: Marafona (Moreirense).
- Defesas: André Pinto (Braga) e Tiago Pinto (Rio Ave).
- Médios: Pizzi (Benfica), Danilo (Marítimo), André André (Vitória de Guimarães), Adrien Silva (Sporting) e André Almeida (Benfica).
- Avançados Ukra (Rio Ave), Rui Fonte (Belenenses) e Lucas João (Nacional).

Concordo com as chamadas de André Pinto, Pizzi, Danilo, André André, Adrien Silva e Lucas João. Em relação a este último, bem que podia ter sido chamado para o jogo com a Sérvia, no lugar do Éder. É que para ter lá um pino...

Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

quinta-feira, 19 de março de 2015

quarta-feira, 18 de março de 2015

Calma com Baldé

Não conheço todo o historial de Romário Baldé no Benfica. Li "aqui e ali" que tem tido intermitências no plantel encarnado mas desconheço as razões.
No jogo da Youth League, Baldé teve a oportunidade de ampliar a vantagem para 2-0 mas na conversão de uma grande penalidade acabou por tentar um penalty à Panenka e falhou. O Benfica acabaria por conceder o empate e foi eliminado (ironia das ironias) nas grandes penalidades.
Segundo o Record, no final da partida as reacções não se fizeram esperar tendo o jogador sido insultado por alguns adeptos.
Falhar um penalty à Panenka acontece aos melhores. Romário Baldé sofreu pela sua ingenuidade, burrice, inexperiência, o que lhe quisermos chamar. Mas é preciso ter em atenção que se trata de um miúdo e colocar alguma água na fervura na sua crucificação. A equipa técnica do Benfica terá aqui um papel preponderante.
Confesso que brinquei com o penalty de Baldé mas depois de ver a foto que acompanha este texto fiquei com pena do jogador. Clubismos à parte, desejo muito sinceramente que Baldé ultrapasse este momento e que cresça com ele.

Foto: Record

terça-feira, 17 de março de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #9: E apostar em produtos de qualidade?

Já não é de agora que vejo a Premier League como a melhor liga do mundo, seguida, muito provavelmente, pela Bundesliga. Não o afirmo só em matéria do jogo dentro das quatro linhas mas em toda a máquina que faz gerar o negócio futebol dos respectivos países.
Um dos exemplos passa pelas transmissões televisivas e pelos programas que antecedem e sucedem os jogos do campeonato.
Entrevistas a jogadores, treinadores, antevisões da jornada, análises tácticas, de arbitragem, rescaldos. É um “sem número” de conteúdos que são explorados com bastante qualidade, o que só por isso faz gerar milhões só na sua exportação.
Em Portugal, os produtos televisivos não são bons. O fenómeno futebol não é explorado convenientemente por quem tem os direitos. O facto de a Sport TV ser a única detentora dos direitos de transmissão (à excepção do Benfica, com os seus jogos caseiros) faz com que o nível de exigência fique estagnado a determinado momento, precisamente porque não existe concorrência à altura.
Não temos um programa decente de antevisão à jornada, não se procura saber mais sobre o dia-a-dia dos clubes, o pós-jogo está limitado a meia dúzia de comentadores a falar sobre o mesmo e aos inevitáveis “paineleiros”, cuja única missão passa por atacar os outros quando o penalty não é assinalado. Tudo isto afasta as pessoas do futebol, em vez de as puxar. Estes programas, iguais todas as semanas, acabam por cansar. O produto, quando é mau, não é vendido.
A Sport TV tem a obrigação de fazer mais e melhor e já provou que consegue ter bons programas (ReporTV). Não sei se será falta de visão, acomodamento ou a certeza de que assim é que está bem. Mas não fazia mal nenhum olhar para outros exemplos e perceber que o que é bom vende ainda melhor.
Deixo-vos um exemplo do Match of the Day (MOTD), da BBC Sport. Reparem no estúdio, nas cores, no grafismo, no apresentador e no teor da sua conversa com os convidados. Temos algo do género em Portugal?



Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

terça-feira, 10 de março de 2015

Canto de Mangas Arregaçadas #8: O exemplo da MLS

A MLS tem crescido de forma gradual nos últimos anos mas só agora começa a levantar as rodas da pista. Às contratações de David Beckham e Tierry Henry, há uns anos, seguiram-se as de Kaká, David Villa ou Frank Lampard. Outros astros, como Gerrard ou Xavi podem ser os próximos.

O campeonato começou agora e vai ter transmissões através da Eurosport, numa clara tentativa de mostrar ao resto do mundo que os norte-americanos já não são aqueles toscos para quem a bola é quadrada.
O investimento ameaça ter retorno no curto/médio prazo e, para já, é de salientar as excelentes assistências da ronda inaugural. Um campeonato para manter debaixo de olho.

Com cada vez mais estrelas à procura deste sonho americano, não será de estranhar que mais golos como este surjam. Fantástico!

Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

sexta-feira, 6 de março de 2015

quinta-feira, 5 de março de 2015

Welcome back, Jonas!

Jonas Gutierrez regressou ontem aos relvados depois de obter a maior vitória da sua vida na luta contra um cancro. Bem-vindo, Jonas!



terça-feira, 3 de março de 2015

Esta obra-prima fez ontem 13 anos

Para ver, rever, puxar atrás, guardar nos favoritos. Em HD e com comentários do próprio Dennis Bergkamp. Lenda!


Canto de Mangas Arregaçadas #7: Calma Sporting!

Há muita coisa que pode explicar a derrota do Sporting no Dragão. A mais óbvia parece ser a do cansaço físico. Não querendo desvalorizar esta parte, porque teve a sua influência, parece-me que não devemos reduzir o desaire apenas a esta componente. Vejamos o caso de Montero, que jogou poucos minutos frente ao Wolfsburgo, mas que no domingo esteve em todo o lado menos no Dragão. Apático, desconcentrado, sem vontade.
A (pouca) frescura física é notória em jogadores como Adrien, que praticamente fez os jogos todos até aqui, e em Cédric, também habitual titular. A isto junta-se a forma menos boa de elementos como Nani e Carrillo bem como a ausência de Jefferson.
Sem querer desvalorizar a exibição do FC Porto, parece-me claro que o conjunto de Lopetegui beneficiou da completa ausência em campo do adversário. Se será suficientemente forte para ainda chegar ao primeiro lugar, é algo que teremos de esperar para ver. Acho complicado, dado o calendário do Benfica mas também já vi muita coisa no futebol.

Voltando a Jefferson. Sem conhecer todos os pormenores, estou inclinado a dar razão ao presidente. Saberão que sou suspeito, pois fui e sou apoiante de Bruno de Carvalho mas também não me coíbo de o criticar quando faz algo mal.
Aparentemente o jogador brasileiro chamou mentiroso a BdC. Em causa, uma possível transferência para o Dínamo de Kiev. Ainda que BdC possa ter prometido uma saída ou escondido uma proposta, nada justifica a atitude de Jefferson, uma vez que não deixa de ser um trabalhador a insultar o chefe. Há maneiras de tratar dos assuntos, com cordialidade e respeito. Isto é válido tanto para o presidente como para o jogador. Como em tantos outros casos, parece-me que o empresário está no centro de todo este imbróglio.

Esta é, provavelmente, uma das semanas mais importantes para o futuro a curto/médio prazo do Sporting. Acredito que a equipa não se encontre no melhor momento em termos anímicos, face à grande exibição, porém inconsequente, frente ao Wolfsburgo e à derrota no Dragão. No entanto, Marco Silva tem a obrigação de fazer lembrar aos jogadores que ainda há objetivos a cumprir. Está aí a meia-final da Taça de Portugal e é necessário vencer todos os jogos até ao fim para garantir a melhor classificação possível.
Esta equipa merece triunfar em campo, pois ajudará a uma cultura de vitória que já se encontra implementada no clube mas de que nada vale se não for suportada com troféus.

Pedro Gabriel

"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Maraniggia

Diego Maradona e Claudio Caniggia num treino do Boca Juniors, em 1995.

Créditos: Maradona Retro Pics (@MaradonaPICS)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Canto de mangas arregaçadas #6: Sporting precisa do jogo perfeito

Não vou entrar em rodriguinhos. A tarefa de passar aos oitavos de final da Liga Europa está bastante complicada. Com dois golos de desvantagem, frente ao segundo classificado da Bundesliga em excelente forma, o Sporting precisará de fazer o jogo perfeito frente aos alemães.
Comecemos pela estrutura e mentalidade. Naturalmente, o jogo terá de ser assumido pela equipa leonina salvaguardando as devidas cautelas. Tudo isto porque não acredito que o Wolfsburgo venha estacionar o autocarro. Jogará sim com o conforto de dois golos, espreitando o contra-ataque sempre que possível.
O onze não fugirá muito ao mais utilizado, com Nani e Carrillo nas alas a servirem Montero. Talvez Marco Silva prepare uma surpresa no miolo com a inclusão de Ryan Gauld embora este cenário seja mais provável de acontecer durante a partida.
Para alimentar ainda mais a esperança de uma reviravolta, seria óptimo marcar nos minutos iniciais. Galvanizava a equipa e enervava os alemães. Mas caso não aconteça é absolutamente imprescindível que os jogadores não acusem o tempo a passar, sob pena de sofrerem falhas de concentração que podem deitar tudo (ainda mais) a perder.
Precisamos de uma defesa sólida, de um Nani com categoria Premier League, de um Carrillo sem medo de partir para cima dos adversários e um Montero com instinto matador. O resto será a sorte a ditar.
Se fosse treinador, estes vídeos iam directamente para o balneário. Eu acredito na r3virav0lta.


Pedro Gabriel


"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Em repeat

Permitam-me puxar o meu sportinguismo para este post. Este é um golo do cacete. Que pontapé!
Nani não fez o melhor dos jogos, cheguei mesmo a reclamar com ele durante o jogo por demorar a soltar a bola. Felizmente calou-me. Precisamos disto na próxima quinta-feira.


quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

O melhor que o AC Milan tem actualmente é...

                                         Barbara Berlusconi (Gossip.it)

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Canto de mangas arregaçadas #5


le but Zlatanesque de Zlatan Ibrahimovic (qui... por Sport-Buzz

Pedro Gabriel


"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

That bicycle kick!

Faz hoje quatro anos. Um dos melhores golos de sempre da Premier League.

O golo filmado da bancada:


A perspectiva da transmissão:


E as reacção de colegas, adeptos e do próprio Rooney:

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

O dia em que Maradona desceu à terra

A revista Kaiser, descobriu um verdadeiro tesouro dos tempos antigos de Diego Maradona, em Nápoles. O dia em que 'El Pibe' foi com alguns colegas de equipa, participar num jogo de beneficência nos arredores de Nápoles, num...chamemos-lhe relvado maltratado, mas onde a magia se manteve como se fosse o melhor dos tapetes. Só vendo.

Revista Líbero

Recomendação Webesférico: Já está disponível para leitura online, o mais recente número da revista espanhola de futebol, Líbero.


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Canto de mangas arregaçadas #4: Considerações sobre o derby

Foto: José Sena Goulão
Não vou alongar-me sobre questões tácticas nem fazer uma análise aprofundada do derby.
Apenas dizer que o que aconteceu durante os 90 minutos, em particular nos últimos sete, oito foi apenas e só futebol. Uma equipa que jogou para ganhar, porque a isso estava obrigada, e outra que tentou ver o que o jogo dava, porque a segurança do primeiro lugar lhe dava essa hipótese.
Não me custou nem surpreendeu a abordagem do Benfica à partida. Saber defender e contra-atacar é uma arte. No entanto, o Benfica não o soube fazer e Jesus tem experiência suficiente para perceber que jogar para o empate, muitas vezes, dá em derrota.
Custou-me, isso sim, o constante anti-jogo feito desde o primeiro minuto. É um tipo de artimanha usada pelas equipas ditas pequenas, satisfeitas pelo pontinho fora mas nunca pode ser utilizado por uma equipa como o Benfica. Demoras nos lançamentos, quedas constantes do guarda-redes não são acções dignas de um grande. Se fosse adepto encarnado, ficaria envergonhado.
A verdade é que o constante anti-jogo ia tendo sentença merecida com o golo de Jefferson mas acabou por resultar dado o golo de Jardel, em que não posso esquecer alguma ingenuidade da equipa leonina. Empate, um ponto para cada lado. End of story.

Esta equipa do Sporting tem potencial e se conseguir manter este nível pode almejar a aproximar-se dos lugares cimeiros embora o título seja praticamente uma miragem.
É importante recuperar os jogadores psicologicamente porque há uma Taça de Portugal para vencer e uma Liga Europa para fazer boa figura.
Ambiente fantástico em Alvalade, com apoio constante do princípio ao fim e o aplauso merecido à equipa no final do encontro. Mas o estádio é para encher mais vezes e não só nos jogos grandes.
Algumas notas em jeito de lamento e que merecem reflexão:
  • O Sporting voltou a referir-se ao Benfica como clube visitante. Já o tinha feito com o FC Porto. É desnecessário e não fica bem. Se queremos respeito temos de respeitar. 
  • Voltou a cair um adepto no já famoso fosso de Alvalade. Uma aberração desde que foi projetado até aos dias de hoje, que já merecia um plano especial de encerramento. Depois da Missão Pavilhão, porque não uma Missão Fechar o Fosso?
  • No final da partida, a claque do Benfica arremessou três tochas (há quem diga que foram very-lights) em direcção aos adeptos do Sporting e só a intervenção pronta da polícia evitou males maiores. Um dia antes, no futsal, uma tarja a dizer “Very Light 96” foi exibida pelos mesmos adeptos. É urgente penalizar estes criminosos e têm de ser os clubes a sofrer as consequências. Punir os clubes com jogos à porta fechada é a melhor maneira de despertarem para este problema. À hora a que escrevo, ninguém da direcção do Benfica veio condenar estes actos. E o seu presidente esteve presente nos dois lados...



Pedro Gabriel


"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Munique, 6 de Fevereiro de 1958

'On 6 February 1958, a charter plane carrying 44 people crashed after refuelling at Munich Airport.

The accident claimed 23 lives, among them eight Manchester United players and three club officials.

We hope these pages are a fitting tribute to the young United side many believe would have gone on to dominate European football - the Busby Babes.

We will never forget.'

@ Manchester United official website

Bela recordação

Eram rivais no campo e amigos fora dele. Travassos (ex-Sporting) e Palmeiro (ex-Benfica) a falar sobre futebol com o Maestro António Vitorino D' Almeida.



Um obrigado à página Cortina Verde pela lembrança deste pequeno pedaço de História.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Dortmund, um clube diferente

Sempre gostei do Borussia de Dortmund. Achava piada às camisolas fluorescentes, tão atípicas para uma equipa desportiva. Posteriormente, quando já tinha mais entendimento sobre o futebol, seguiu-se aquele título europeu fantástico diante da Juventus, numa equipa onde alinhavam jogadores como Matthias Sammer, Paulo Sousa, Andreas Moller ou Stéphane Chapuisat.

Mas tal como muitos clubes, o Dortmund teve mais olhos do que barriga, mergulhando numa crise financeira e de resultados. Seguindo a reformulação do futebol alemão, o clube conseguiu organizar-se, contratou o treinador certo e apostou em jovens jogadores. Os frutos foram colhidos em 2011 e 2012, com o bicampeonato.

Este ano, os resultados desportivos não são os melhores. O Dortmund ocupa o último lugar da tabela e o fantasma da despromoção já paira. No último jogo, Weidenfeller e Hummels foram à bancada falar com os adeptos. Os restantes jogadores, assim como Jurgen Klopp, mantinham-se no centro do terreno, cabisbaixos por mais um desaire.

Esta espécie de romantismo torna o Dortmund um clube diferente. A relação de jogadores, equipa técnica e directiva com os adeptos, que já fizeram saber que nunca abandonarão o clube, sobrevive aos piores resultados. Um exemplo para tantos.


Explication joueurs-supporters à Dortmund ! por lephoceen

Parabéns, Cristiano!

Créditos: Sapo Desporto
O português completa hoje 30 anos.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

A primeira vez na TV

Jogadores do Arsenal, durante a primeira transmissão via TV, de um jogo de futebol em Inglaterra.


terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Canto de mangas arregaçadas #3

Créditos: Sapo Desporto
O melhor desafio para um treinador

O mercado de inverno no futebol é, muitas vezes, essencial para as aspirações de uma equipa independentemente de lutarem por um título, pela Europa ou pela manutenção. O principal objetivo é o de fazer afinações aos plantéis, dotando-os de jogadores que possam vir a fazer a diferença.
É um mês de negócios por vezes mais importante que o defeso e que obriga os responsáveis dos clubes a um conhecimento mais profundo do mercado. Tudo isto na busca pela melhor oportunidade de resgatar jogadores.
Como sportinguista, não posso esquecer o longínquo ano de 2000, quando o meu clube acertou em cheio nas contratações de André Cruz, César Prates e Mbo Mpenza (Robert Spehar também chegou na mesma altura embora sem o mesmo sucesso do trio), essenciais para a conquista do título desse ano.
Às contratações deste período específico estão associados vários factores. Primeiro a questão financeira dos clubes, que precisa de ser saudável para comportar o valor de uma transferência + salário do jogador ou, em caso de empréstimo, o valor do mesmo + salário do jogador. Depois, a falta de oportunidades do jogador no seu clube actual motiva a vontade de mudança.

Podolski mudou-se do
Arsenal para o Inter
Créditos: Gazzetta dello Sport
Recuperar jogadores

Peguemos no exemplo da contratação de Ewerton pelo Sporting. Central que passou com sucesso pelo Sporting de Braga e que se mudou entretanto para o Anzhi, onde não se conseguiu fixar, por inadaptação e um conjunto de lesões. E é aqui que entra a ideia que motivou o título deste texto.
Como é sabido, o Sporting não nada propriamente em dinheiro, pelo que o alvo e as condições do empréstimo tiveram isso em conta. Marco Silva terá a missão de recuperar um jogador que não passou o melhor dos momentos na Rússia, trazendo ao de cima a qualidade que demonstrou anteriormente em Portugal. Penso que, em caso de sucesso, este será um dos momentos de orgulho para um treinador, a recuperação de um jogador que é visto com desconfiança.
Como jogador de Football Manager, gosto de chegar a um clube e recuperar aquele jogador que estava na equipa B, listado para transferência ou empréstimo e por quem já ninguém dava nada. Apostar nele com sucesso é um motivo de satisfação. Será o mais próximo que o comum dos mortais terá com a realidade.
Nem sempre resulta, por variadíssimos factores. Se Ewerton terá sucesso (e outros por esse mundo fora) só o tempo o dirá. Aguardemos.

Pedro Gabriel


"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Batigol

Gabriel Omar Batistuta fez ontem 46 anos. O 'bombardeiro' argentino apresenta uma carreira com 544 jogos e 302 golos marcados, divididos pelo Newell's Old Boys, Boca Juniors, River Plate, Fiorentina, AS Roma, Inter e Al-Arabi.

A palestra de Zé Roberto

Vale a pena ver o vídeo do discurso de Zé Roberto, lateral do Palmeiras, antes do arranque do Paulistão.

Para ver aqui

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

‘Eu queria mesmo, era ver o Maradona’ - por Tiago Soares

Eu queria mesmo, era ver o Maradona

Era uma qualquer manhã, da segunda semana de Setembro, de 1989. Na mítica porta 10-A do Estádio de Alvalade, o rebuliço sai e entra, ou seja, está instalado. Não era uma manhã como qualquer outra: era uma das manhãs que antecedia a chegada a Lisboa do maior 'mágico' do mundo: Diego Armando Maradona, o homem que fazia desaparecer a bola dos olhos adversários e fazê-la aparecer na baliza. 'El Pibe', no auge da sua carreira, ia aterrar na Portela, com os seus colegas que equipavam um azul estranho com patrocínio da 'Mars' e que se iriam sagrar campeões italianos nessa época, em Maio de 1990, título ganho com uma vantagem de dois pontos sobre o AC Milan dos 'holandeses'.

Mas o mais importante neste início de texto, é que nessa manhã da semana do 14 de Setembro de 1989, eu fui a Alvalade. Carlos Manuel, meu antigo ídolo na Luz (a minha primeira camisola do Benfica tem o número 6 por alguma razão) tinha-se mudado para aquele lado da segunda circular, mas não era por isso que eu ali estava. O meu Pai foi buscar convites para o Sporting-Nápoles que se jogava dali a poucos dias e eu fui com ele, na esperança de os italianos, aliás, Maradona,já ter chegado e andar por ali a treinar. Nada de Maradona nem de italianos, como é óbvio e sobrou-me ficar sentado no degrau da porta 10-A, enquanto o meu Pai esperava o amigo dele da direcção leonina, que lhe ia levar os bilhetes para a magia.

Naquele tempo, com 9 anos, lembro-me de ficar fascinado quando a RTP, pelas 23h de domingo, no então segundo canal, transmitia jogos grandes do Calcio e uma noite deu o Nápoles-AC Milan, com Maradona, Careca e Alemão contra Baresi, Gullit e Van Basten. Era como se a minha televisão estivesse a transmitir imagens de outro planeta. Um fascínio total.

Mas voltando à curva que dava para o campo de treinos de Alvalade, sentado na porta, vejo chegar o dirigente do Sporting, que cumprimenta o meu Pai, troca alguma conversa e entrega o passaporte para o espectáculo que mal se sabia, em Portugal, seria único. Levanto-me, cumprimento o senhor e nisto sai da 10-A, o jogador brasileiro Douglas. O amigo do meu Pai chama-o imediatamente, apresenta-o e o médio, que usava o número 8, pergunta-me se sou do Sporting, ao que respondi que não, que era do Benfica. Douglas sorriu e mesmo assim disse que ia dar-me uma coisa. Voltou a entrar no estádio e cinco minutos depois volta com um fato de treino completo do Sporting, dobrado num plástico, com o patrocínio da Nissan, em letras bem à vista. Cordialmente aceitei, agradeci e Douglas não me exigiu a mudança de clube, como seria de esperar depois de tal oferta. Limitou-se a um aperto de mão e partiu. 

Não foi o único a ir embora. Assunto resolvido dos convites e vamos para casa. Poucos metros andados após a 10-A, estico o fato treino ao meu Pai e digo-lhe: 'Toma. Dá a quem seja do Sporting. Eu queria mesmo, era ver o Maradona'. 

O resto? O resto é história no relvado do Estádio José Alvalade, a 14 de Setembro de 1989.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

'El Cholo'


A Bundesliga está de volta!

Há uns anos, a Alemanha reformulou por completo a abordagem até então dada ao futebol do país. Os frutos já começaram a ser colhidos, com o título mundial recentemente conquistado, selecções jovens que garantem futuro e um campeonato cada vez mais apetecível.

Esta promoção é um exemplo do acréscimo de qualidade imprimido. O futebol como quality brand, que chama patrocinadores e garante exportação para outros países, com as consequentes receitas.

É um exemplo para Portugal, que necessita urgentemente de uma mudança. Para isso, será necessário mudar mentalidades mas, acima de tudo, mudar pessoas.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Canto de mangas arregaçadas #2

Eu, rossonero, me confesso

Tive a oportunidade de ver o último jogo do Milan, frente à Lazio. A equipa de Roma esteve a perder por 1-0 mas deu a volta na segunda parte acabando por vencer 3-1.
Este resultado atirou o conjunto de Milão para o 9.º lugar, com 26 pontos, a “meros” 23 (!) da líder Juventus, isto à 20.ª jornada.
O jogo é o ponto de partida para este texto, onde pretendo fazer a comparação, posição a posição, entre o onze inicial do Milan frente à Lazio e um onze da época 2010/2011, em que o Milan se sagrou campeão pela última vez (e o último campeão antes da hegemonia da Juventus).
Em termos de qualidade, as diferenças são abismais. Os problemas financeiros não desculpam tudo. Estamos a falar de um intervalo de apenas quatro anos…

(A vermelho o jogador do plantel actual. A preto o de 2010/2011)

Guarda-Redes

Christian Abbiati – Um histórico rossonero, capaz do melhor e do pior. Já fez exibições de luxo como jogos desastrosos. O veterano de 37 anos era titular no último título do Milan. Ainda continua no plantel mas como suplente de Diego Lopez.
Diego Lopez - Já tinha experiência acumulada quando chegou ao Bernabéu mas se já não é fácil pontificar no balneário merengue, mais difícil se torna quando se é aposta do treinador em detrimento de Iker Casillas. Com Ancelotti voltou à condição de suplente pelo que a saída para Milão foi vista com bons olhos. Titular indiscutível.

Defesa-direito

Gianluca Zambrotta – O plantel de 10/11 era rico em experiência pelo que vão ler muitas vezes a palavra “histórico”. Zambrotta era um deles embora tenha ganho esse estatuto ao longo de sete épocas de Juventus. Campeão do Mundo em 2006, viajou para Barcelona tendo saído antes do período áureo ‘culé’. No Milan, emprestou qualidade e classe.
Ignazio Abate – Fez alguns jogos como titular em 2010/11 e é dono do lugar na época atual. É o chamado “bom defesa mas nada de extraordinário”. Nos jogos de computador é grande bomba, na realidade é vivaço, vá.

Defesas-centrais

Thiago Silva – O brasileiro era, à altura, titular de caras, fazendo com Nesta uma dupla sólida no centro da defesa. Para além da qualidade, a concorrência também facilitava a titularidade: Bonera, Yepes, Legrottaglie…
Alessandro Nesta – Nome que dispensa apresentações. Esteve 9 épocas ao serviço da Lazio e 10 ao serviço do Milan. Foi campeão nos dois clubes e era dos mais titulados do plantel. Na memória ficam as duplas feitas com Costacurta, Maldini ou Stam.

Créditos: Getty Images
Philippe Mexès - Declaração de interesses: detesto Philippe Mexès, como futebolista e como pessoa. Acho que foi das piores contratações do Milan nas últimas épocas. É miserável e já o era na Roma. No último jogo conseguiu perder as estribeiras e agarrar Mauri pelo pescoço como se fosse um membro da máfia. Com 32 anos, já cheira a dispensa.
Alex – Percebe-se a intenção da contratação do brasileiro. Central experiente, possante e com uma mais-valia nas bolas paradas. É, no meio daquela desgraça chamada defesa, dos poucos que se safa embora a concorrência também ajude. Bonera ainda lá anda, por exemplo…

Defesa-esquerdo

Luca Antonini – Era uma espécie de Abate mas sem a sorte de ainda estar no clube. Antonini repartia as vezes com Marek Jankulovski embora este estivesse na fase final da sua carreira no Milan. Aplica-se a máxima de Abate mas cumpria o seu papel.
Pablo Armero – A chamada contratação “WTF?!”. Só está aqui porque foi titular com a Lazio. De resto, De Sciglio pode (e deve) fazer a lateral esquerda.

Médios centro

Gattuso – O italiano assustava os adversários só pelo aspecto. Era um todo-o-terreno, um gladiador que fazia o trabalho sujo. Na posição em que jogava só podia ser assim. Agora há De Jong. Bom mas não é Gattuso…
Pirlo – Se Gattuso era a força bruta, Pirlo era o cérebro. Que classe de jogador! Confesso que é daqueles que me enche as medidas, o box-to-box que o Milan/Allegri (?) deixou de querer. Aproveitou a Juventus. Pirlo faz a festa desde que se mudou para Turim. E já se sabe, “No Pirlo, no party!”.

Créditos: USA TODAY Sports
Andrea Poli – Olhamos para a dupla anterior e para Poli/Montolivo e percebemos o desânimo dos adeptos do Milan. Poli prometeu muito na Sampdoria e era até uma contratação lógica. A verdade é que não pegou de estaca. Serve como médio de reserva
Ricardo Montolivo – É um jogador com técnica acima da média mas propenso a lesões, o que impede que seja regular no onze. É uma pena porque Montolivo é dos poucos com classe neste Milan. Se conseguir aguentar-se ainda é titular no meio-campo.

Médio ofensivo centro

Clarence Seedorf – Como o vinho do Porto. Seedorf entrava e emprestava classe. A idade não permitia grandes aventuras mas sabemos como o treino físico italiano prolonga a energia dos jogadores. Já não se fabrica disto.
Marco Van Ginkel – Chegou por empréstimo do Chelsea mas talvez seja demasiado novo para a ocasião. Não está em causa a qualidade mas, para a posição que ocupa, é necessário alguém com mais traquejo.

Médio ofensivo esquerdo

Ronaldinho/Robinho – Apesar de ter saído a meio da época, o primeiro merece estar aqui. Ronaldinho foi, muitas vezes, o toque de genialidade que toda a grande equipa deve ter. Na ausência dele, Robinho tentou assumir as despesas mas sem sucesso…
Giacomo Bonaventura – Chegou esta época proveniente da Atalanta. Tem potencial para ser essencial embora, aos 25 anos, tenha de deixar de ser uma aposta para começar a ser uma certeza. Para ir seguindo.

Médio ofensivo direito

Alexandre Pato – O plantel de 10/11 tinha uma grande vantagem. Os jogadores faziam mais do que uma posição pelo que era frequente vê-los a trocar durante a partida. Alexandre Pato estava au point quando se sagrou campeão italiano. É uma pena que não tenha dado seguimento mas a qualidade estava (está?) lá.
Stephan El Shaarawy – Outra vítima das lesões. Quando começa a ganhar boa forma, regressa ao estaleiro. Tem apenas 22 anos mas muito potencial. Se conseguir aguentar-se nas canetas pode ser um caso sério.

Ponta-de-Lança

Créditos: Sport H 24
Zlatan Ibrahimovic – Podia escrever muito sobre Ibra mas o nome diz tudo.
Jérémy Ménez – Olhei com desconfiança para esta contratação. É certo que não atingi o nível de cólera Mexés mas havia algo que me fazia desconfiar de Ménez. Parece-me aquele jogador que só joga quando está para aí virado. Mas dou a mão à palmatória, tem sido dos melhores esta época.


Menções Honrosas

2010/2011 - Bonera (eu sei mas o homem ainda safou muito), Van Bommel, Ambrosini, Boateng, Inzaghi
2014/2015 - Rami, Muntari, Essien, Honda, De Jong.  

Misters

Massimiliano Allegri – Campeão na época de estreia pelo Milan foi deteriorando-se à medida que o tempo avançava e o plantel ficava pior. Não há milagres. Agora na Juve prepara-se para conquistar mais um Scudetto.
Pippo Inzaghi – No meio da salganhada é complicado fazer algo. Talvez não estivesse ainda preparado para assumir a primeira equipa (tal como Seedorf) mas o principal problema não é dele, parece-me.


Pedro Gabriel


"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

domingo, 25 de janeiro de 2015

O adeus de Roman

Juan Roman Riquelme, o último dos ´10´no mundo, anunciou a sua retirada do futebol profissional.

"Porque abandonei o Argentinos Juniors após a subida? Nunca poderia jogar contra o Boca..." - Juan Roman Riquelme

'And then she named me, kung fu'

25 de Janeiro de 1995, Selhurst Park.


"When the seagulls follow the trawler, it's because they think sardines will be thrown into the
sea. Thank you very much."  - Eric Cantona

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Wenger e Tango

                                               Arséne Wenger, como jogador, no Estrasburgo

Ainda a propósito de Trezeguet


Foto colocada no Twitter oficial do @AS_Monaco

#JeSuisTrezeguet

É mais um jogador que se retira do futebol embora já o tivesse feito dos grandes palcos internacionais.
David Trezeguet era o típico ponta-de-lança, passando muitas vezes ao lado do jogo mas fazendo a diferença nos momentos decisivos. O ponto alto da carreira foi o golo de ouro frente à Itália na final do Euro 2000.

P.S. - Olhando agora para aquela equipa da França, difícil era não conquistarem nada. Que luxo!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Canto de mangas arregaçadas #1

Como os fins de uma era conseguem ser diferentes: de Maldini a Gerrard


Créditos: MaisFutebol
No início do ano, Steven Gerrard anunciou a sua saída do Liverpool, após 25 anos de serviço naquele clube (entrou com 9). O provável destino do médio internacional inglês será os LA Galaxy.
Importa perceber as motivações de Gerrard para tomar tal decisão que, como o próprio confessou, foi “a mais difícil da vida”.
No comunicado divulgado no site dos ‘reds’, Gerrard afirma que a decisão prende-se com a vontade de experimentar “algo novo” antes de terminar a carreira. Com muitos anos de casa, é normal que exista cansaço psicológico, alicerçado no facto de o Liverpool não viver a melhor das alturas a nível desportivo. Isto não pondo em causa o amor de Gerrard ao Liverpool e fazendo fé que não existe mais nada que force uma saída, como conflitos internos.

Apesar de fazer lembrar Frank Lampard, o caso do médio ex-Chelsea acaba por ser diferente em vários aspectos, uma vez que não iniciou a carreira nos ‘blues’  e foi o próprio clube que revelou intenção de não renovar contrato.
A verdade é que Lampard foi para os EUA mas regressou a Inglaterra para representar o Man. City, um dos rivais do antigo clube. Lá se vai a tese do amor incondicional, já para não falar da suspeição à volta do negócio. Lampard não fez qualquer jogo em terras do “Tio Sam”…
Conseguirá Gerrard resistir à tentação de voltar a Inglaterra, mesmo tendo dito que não queria um clube que lutasse contra o Liverpool? Acredito que manterá a promessa.

Créditos: Wikipédia
Maldini, Baresi, Puyol…

No reverso da medalha encontram-se jogadores que começaram e acabaram a carreira no mesmo clube. Relembro Franco Baresi (Milan 1977-1997), Paolo Maldini (Milan 1984-2009) ou Carles Puyol (Barcelona 1996-2014). E sem esquecer também Francesco Totti, ainda no activo.
A carreira destes jogadores, e de tantos outros não citados, vai além do obrigatório profissionalismo. São casos crónicos de amor a uma instituição e a tudo o que nela está englobada, desde a importância no balneário ao tratamento aos adeptos.
Naturalmente, as pessoas não são iguais mas nos casos que referi não houve vontade de experimentar novos campeonatos nem pressa dos clubes em mandar os jogadores embora.
Não critico Gerrard ou Lampard pelas suas decisões mas os exemplos de Maldini, Baresi ou Puyol são os que mais ajudam um clube a construir e manter a tão aclamada mística.

Pedro Gabriel


"Canto de mangas arregaçadas" é uma coluna de opinião cobrada à terça-feira e que pode sair sob a forma de texto, imagem ou vídeo, dependendo da forma do autor.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

domingo, 18 de janeiro de 2015

No banho com...Malcolm Allison


O inglês Malcolm Allison, um 'gentleman', na banheira com a estrela 'porno' da altura, Fiona Richmond, nos balneários do Crystal Palace.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

A selfie de Totti, versão Subbuteo

Era bonito de ver, "Fenómeno"

"O brasileiro Ronaldo, que tinha abandonado o futebol em fevereiro de 2012, admitiu que pode voltar a calçar as chuteiras no clube onde é acionista, o Fort Lauderdale Strikers, da segunda liga dos Estados Unidos
'O Fenómeno', apontado como um dos melhores avançados de sempre do futebol mundial, tinha deixado os relvados depois de uma sucessão de lesões, mas agora admite, aos 38 anos, voltar a jogar pelo clube norte-americano.

"Se o meu corpo o permitir, voltarei a jogar, sobretudo se chegarmos à final [da segunda liga dos Estados Unidos], que é o nosso grande objetivo", disse, em conferência de imprensa, o jogador que se sagrou campeão mundial pelo Brasil em 1994 e 2002.

A antiga estrela de clubes como o Barcelona, Real Madrid ou Inter de Milão não quis dar muitas pistas sobre o eventual regresso à competição, mas lá admitiu que o seu desejo é "jogar alguns jogos" pelo Fort Lauderdale Strikers, do qual detém 10 por cento das ações.

"Tentarei jogar alguns jogos. Este ano quero treinar muito. Nos últimos três não tive oportunidade, em virtude de um calendário ocupado com outras atividades. Se chegarmos à final e se me sentir bem, porque não?", disse o brasileiro.

Sobre a hipótese se vir a ser treinador da equipa, Ronaldo descartou o cenário, pois entende que o cargo é uma "tarefa complicada" por ter de gerir "tantas personalidades".

"Não posso ser treinador porque é muito difícil ter 30 jogadores num plantel que pensam de formas diferentes", admitiu 'O Fenómeno'.

Ainda quando eram prémios distintos, Ronaldo foi galardoado com a Bola de Ouro da France Football em 1997 e 2002 e considerado o melhor jogador do mundo pela FIFA em 1996, 1997 e 2002.

A partir de 2010, FIFA e France Football associaram-se para atribuir um único prémio, a Bola de Ouro, troféu que o internacional português Cristiano Ronaldo acaba de vencer pela terceira vez."

in "OJOGO"